A realidade que ninguém conta para o pequeno investidor.

indice-painel-eletronico-bolsa-valores-economia

Se você fizer uma rápida busca na internet vai achar diversos consultores dizendo como investir na bolsa, como ganhar dinheiro “sem trabalhar” ou como ficar rico apenas fazendo seu dinheiro render mais. Na teoria tudo isso parece muito bonito, muito fácil, mas será que realmente é assim? Será que é tão fácil ser rico e eu estou aqui de bobeira?

Pois é, há algum tempo já acompanho esses posts, leio essas teorias, mas só agora tenho tirado a prova real do famoso “fazer o dinheiro trabalhar pra você”.

Pra começar, antes de seguir o que eles falam temos que nos lembrar do ditado “se conselho fosse bom ninguém dava, vendia”, e aí logo com o pessoal mais capitalista que você pode conhecer você quer acreditar que eles estão dando o caminho das pedras de graça?!

Alguns ganham dinheiro dando esses conselhos, vendendo livros, dando palestra, mas o grande pulo do gato não está aberto no primeiro resultado do Google.

Antes de começar a ser mais prático sobre o que estou falando, não quero desestimular ninguém de investir, seja em ações, fundo de investimento, renda fixa ou mesmo poupança. A ideia é esclarecer e dar um pouco de realidade aos sonhos que são vendidos em livros de autoajuda que falam que qualquer um pode ficar rico começando do zero.

Vou tentar colocar em tópicos algumas das coisas que são comuns em lermos quando se fala de investimento de pessoa física.

Você pode começar com pouco dinheiro.
Quanto menos dinheiro você tem, menos opções de investimento vão valer a pena. Uma das coisas que torna complexo fazer investimento são as contas por fora do valor de rendimento. A poupança, que é o primeiro investimento que todo mundo (normal) faz tem apenas um conta, o quanto vai render por mês. Quando falamos de outros investimentos entram variáveis como taxa administrativa, imposto de renda, correção monetária, etc., além de, em muitos casos, não ter um valor fixo de rendimento. Essas variáveis, e cálculos fazem a gente se perder e ficar na dúvida do investimento, gerando o medo e logo acarretando a não realização do investimento. Em alguns casos o rendimento pode ser positivo, mas quando colocar no papel o IR (imposto de renda) e as taxas você vai pagar para investir, perdendo completamente o conceito.

Um ponto importante sobre o “pouco dinheiro” é que em investimento a conta é sempre em cima de % do valor investido. Ou seja, se você investir R$1.000,00 (o que parece muito para a maioria dos normais) e seu rendimento for de (absurdos e quase inatingíveis) de 100% em um ano, você vai ser no final R$2.000,00. Ok, se você todo ano tiver 100% do valor realmente vai valer a pena, mas acredite você não vai ter 100% de rendimento.

Logo, você pode começar com pouco, mas esse pouco vai render pouco. Você não vai ficar rico, apenas vai acelerar o processo de comprar uma casa ou um carro.

É fácil investir em ações usando home Broker. Você abre a conta e aplica onde você quer.
Em muitos pontos vamos bater no primeiro assunto, que são as taxas que você precisa ler muito pra saber quais são e se realmente vale investir. Em ações, usando Home Broker, por exemplo, realmente é fácil, mas ser fácil não quer dizer que dê certo. As ações sobem e descem, existem taxas de corretagem, emolumentos, IR, e mais algumas que não me recordo de cabeça (estão todas na minha formula do Excel :P), essas variáveis todas quando calculadas fazem seu rendimento pequeno ser menor ainda.

Eu li muito antes de realizar o primeiro investimento em ações e até agora, após quatro meses ainda não sei nem metade do que eu deveria. Até porque, voltando ao mundo normal onde nos ensinam basicamente a conta da poupança, entender que na bolsa de valores você tem mercado de opções, leilões, mercado futuro, mercado a vista, etc. não é tão simples de entender.

Um dos pontos que mais dificulta essa opção de investimento é “bolsa de valores não é poupança!”, pra ganhar dinheiro você vai precisar saber investir. E ai entram coisas como ordens de stop e start. Pronto, confusão feita.

Renda fixa é melhor do que poupança.
Outro ponto que sempre ouvi era de que melhor do que poupança e menor arriscado que ações seria a renda fixa. Mas novamente entram as contas, pois com as regras que o governo colocou para a poupança, ela cria uma variação referente à renda fixa e aí pode não ser mais vantajoso aplicar em renda fixa.

Você precisa aceitar riscos.
Quando eu escutava isso achava interessante esse ponto de “arriscar”, viver tendo que ser “safo” para não tomar prejuízo, mas quando falamos de dinheiro de verdade a coisa perde a graça. Voltando ao que falei no começo, da pessoa normal que começa com R$1.000. Se essa pessoa tiver lucro ela vai ter um trocado a mais para comprar um carro, quem sabe, mas já pensou uma pessoa que tem apenas R$1.000 para investir faz a aplicação errada, comprando OGX, por exemplo, e perde 80% do dinheiro em um ano! O coitado tinha pouco e ficou quase sem nada! O risco é o mesmo entre ricos e normais quando falamos de números e porcentagens, mas quando falamos em possibilidade de recuperação a coisa é bem diferente. Algo que era “risco médio” começa a ser pesado se der prejuízo.

Um assunto que foi barreira de entrada para o mercado de ações foi o de como funciona depois que você vende as ações, ou seja, quando você sai novamente do mercado. É um ponto interessante, até porque realmente ainda tenho minhas dúvidas sobre ele. A regra básica é comprar ações baratas e vender quando estiverem em alta. Até aí todo mundo sabe, mas depois que eu vender, o que eu faço? Como eu retiro o dinheiro e se eu retirar o dinheiro ele vai deixar de render, ou seja, adianta tirar o dinheiro?

Uma das coisas que nenhum livro ou blog de investimentos eu li é “agora vamos a parte de gastar o dinheiro”. Sempre falam de como economizar e ganhar mais, beleza, faz sentido, mas o problema é que de que adianta economizar 10 anos da minha vida, juntar R$200.000 ou R$300.000 e não mudar de vida se eu gasto esse dinheiro e ele para de me render? Quando a abordagem é juntar dinheiro para uma viagem, comprar um carro ou uma casa, os conselhos são válidos, pois você faz render até atingir seu objetivo, atingiu, tira do mercado, gasta e não reclama. Agora, não acredite que você vai mudar seu padrão de vida assim, sem trabalho.

Aposte em empresas que pagam dividendos.
Outra coisa que escutei muito é sobre esse tal de “dividendos”. Aí sim a coisa parece melhor ainda, comprar ações de uma empresa e ela me pagar periodicamente por isso, cenário perfeito. Mas entram os poréns e as contas. O valor dos dividendos é por participação na empresa, ou seja, novamente se você tem pouco vai ganhar pouco.
E uma coisa que você não vê nesses posts que vendem o sonho do investimento é o quanto são pagos em dividendos. Os valores são em geral de centavos por cada ação.

Vou fazer uma conta básica, até porque um post com esse tema precisa de contas:
Se você comprar R$1000,00 em ações da Petrobras (a porta de entrada no mercado de ações), com valor de R$17,00 por ação, você vai comprar 59 ações. O último valor pago de dividendos foi de R$0,76, ou seja, no final das contas você teria R$0,76 * 59, o que daria R$44,00 de rendimento.
A menos que você queira comprar um rádio de pilha, R$44,00 não vão fazer muita diferença.

Existem muitos outros pontos que eu poderia abordar, e talvez aborde em posts mais pra frente, mas acho que chegamos a uma realidade interessante. A ideia do post não é assustar, mas trazer realidade para esses livros e posts de autoajuda. O segredo para ter uma “vida boa” não é investir nisso ou naquilo, mas sim gastar menos do que ganha. Existem muitas dicas no meio dessas autoajudas que indicam como reduzir gastos, melhorar as possibilidades de ganho, como investindo em cursos profissionalizantes ao invés de renda fixa. Tome cuidado quando ler um texto falando que o dinheiro trabalha por você. Para investir certo você vai precisar estudar o mercado, acompanhar as notícias, entender a empresa ou o tipo de investimento que está fazendo e isso pra mim é uma forma de trabalhar.

Aproveito para deixar uma apresentação que fiz sobre gestão financeira em casa. Clique aqui para acessar.

5 thoughts on “A realidade que ninguém conta para o pequeno investidor.

  1. Cara, excelente publicação, mas só lí problemas, e nenhuma solução. Eu entendi que não existe um caminho das pedras, então a solução não seria orientar as pessoas como tomar a decisão de investir e onde investir, e a decisão você deixa de responsabilidade de cada pessoa hahaha.

  2. Pô Roberto, viajou legal aí hein? =(

    Dividendos são isentos de IR, investir tem muito pouco a ver com comprar na baixa e vender na alta, e quanto menos você entender de opções e mercado futuro melhor. Palavra de quem tem mais de 10 anos de mercado de renda variável. :)

    Você pode obter um rendimento muito superior à poupança e fundos de RF no Tesouro Direto, com aplicação mínima de R$ 40. Claro que essas opções são mais complicadas que a poupança, mas é o preço a se pagar por um rendimento superior.

    O segredo para quem ganha 1000 ou 10000 reais/mês é sempre o mesmo: gaste menos do que você ganha e poupe o que sobra. Não importa tanto assim obter a maior rentabilidade, o importante é manter um hábito de poupança.

    Se quiser trocar uma ideia sobre o assunto me avisa. Abraço!

  3. Carlos, a ideia do post foi meio que colocar meu ponto de vista, de quem está há 4 meses olhando e tentando entender essa bagunça que é no início. huhuahuhuahu
    Alguns dos pontos que coloquei foi com base no que tenho lido, de informações que tenho tentando achar até no site http://www.bmfbovespa.com.br/.
    Fico feliz em ver alguém “normal” com um ponto de vista diferente do meu, mostra que há uma luz pra todos.

    Vou fazer a correção sobre o IR em dividendos e sem dúvidas te chamar para uma conversa. :D

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *