Estamos todos certos e também errados

meio-termo-equilibrio

Vendo os discursos calorosos e discurssões acirradas entre direita, esquerda, meio e sei lá mais quantos grupos conhecedores da razão e das soluções para um país mais igualitário chego a conclusão de que estamos todos certos e errados.

O lado A só fala o que é bonito para ele e convence algumas pessoas, o lado B só fala o que é bonito para ele e convence outras. Mas a questão é que uma reforma que vai impactar um país com proporções continentais jamais vai conseguir agradar a todos. (Eu ia falar que “nem Jesus agradou”, mas vou resistir para não envolver religião porque aí ferrou de vez)

Existem pontos que serão positivos para o empregado, pontos que serão positivos para o empregador e também pontos que serão ruins. Assim como a questão da previdência, existem pontos que são ruins, mas necessários para que a conta feche. Entram alguns falando que a conta não fecha por causa de roubos, etc, mas e aí, como resolver isso se os roubos não serão descobertos ou devolvidos?

As pessoas estão cada vez mais levantando bandeiras de cores diferentes para lutar pelo direito de todas as cores. Cada vez mais surge um grupo minoritário que acredita que defender sua individualidade é defender o direito de um mundo igual para todos, mesmo que seja criando direitos/deveres que prejudiquem outros grupos.

E sobre greve, pessoas querendo ficar em casa (muito poucas pensando assim, graças!) apenas para aproveitar um dia de “folga” sem ter que ir para o local de tortura trabalho. Pessoas querendo defender o direito dos “explorados” que bancam a vida boa do patrão.

Quando vejo as pessoas falando “o patrão quer explorar” eu me sinto triste. As pessoas nunca se colocaram no lugar de um empresário que paga imposto (pra cara**) pra manter a empresa (empresa essa que gera serviços e produtos que sozinho esse colaborador não conseguiria atender a demanda) e essa empresa paga o salário dele. Impostos como FGTS, INSS e IR que não beneficiam nem o empresário nem o colaborador. Fora inúmeros outros impostos.

Não é uma questão simples, é muito mais complexo do que um post no Facebook citando 10% das leis que estão sendo votadas ou mesmo um comentário chamando o outro de coxinha ou esquerdopata. É muito mais complexo do que um post no blog ou mesmo sair nas ruas queimando pneus para parar o trânsito.

Escolhemos errado nossos representantes, mas no final eles fazem igual a maioria de nós pensa no próprio umbigo e ainda sai por aí pedindo voto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *