Qual o último projeto que você seguiu o cronograma?

macgyver-gerente-de-projeto

Eu não disse que queria ao meio dia? Então, não era nem 11:59, nem 12:01, era 12:00!

Prazos, cronogramas, controle de horas gastas e muitos outros pontos de controles em um projeto são fundamentais, mas o problema é como passar isso de modo que todos entendam e sigam com o que foi passado?

Quem trabalha com entrega de projetos sabe o quanto é importante ter o controle do tempo gasto e certeza da previsão de entrega. O problema é quando esses pontos não são seguidos. Ao fazer o planejamento de uma ação, de um lançamento de site ou mesmo de um simples e-mail marketing você prevê as possíveis dificuldades que podem ser encontradas, mas até onde podem ser ultrapassados esses pontos de controle e atrasar o projeto?

As vezes, não basta o gerente ter as estimativas, colocar uma “gordura” no prazo, ser tolerante ou qualquer adjetivo similar, ele precisa ou ser rigoroso ou fingir que nada está acontecendo para não ficar com os cabelos brancos! O comprometimento da equipe faz muita diferença na produtividade, isso não é novidade para ninguém, mas o equilíbrio entre o gerente que estimula e o gerente que cobra é bem complexo. Ser legal não quer dizer que seja um bom gerente, mas ser sempre cobrador também pode ser um tiro no pé de quem vai produzir.

Existem diversas ferramentas e técnicas de cálculo de previsão de horas para determinados trabalhos, além do famoso “chute” ou “cálculo de olho”. Uma coisa que gosto sempre de frisar nos projetos é “me diga um tempo, mas lembre-se que vou cobrar exatamente quando você disser que termina”.

Ser pontual tem seus lados bons, mas o problema é quando só você é pontual. Parece o louco da história, o chato, certinho do relógio. De qualquer modo, prefiro ser assim e seguindo o que abre o post “Antes da hora, não é na hora. Depois da hora, também não é na hora. Só na hora é a hora”.

Quando for participar de um projeto, onde você não é o líder, lembre-se que alguém está contando as horas para que você termine a sua parte e possa dar continuidade ao resto do projeto. Você não é motor, você é engrenagem e se parar, não tem como ir para frente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *